PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER CADASTRE-SE AQUI

CONTATO

31 3222.0259 mapa
Rua da Bahia, 1900, 4º andar, Lourdes - Belo Horizonte
31 3335.8560 mapa
Av Olegário Maciel, 1600. Lourdes Shopping Diamond Mall - Belo Horizonte
10 out 2014

Arremessadores de baseball: maior estabilidade lombo-pélvica significa menos dias perdidos de lesão

Um estudo de arremessadores de baseball, feito por pesquisadores da Ohio State University, descobriu que aqueles com uma forte estabilidade lombo-pélvica são menos propensos a perder 30 ou mais dias em uma única temporada por lesões, em comparação com arremessadores que têm controle muscular pobre em sua parte inferior das costas e da pelve.

baseball pitcher in core experiment

No estudo, os pesquisadores avaliaram o controle lombo-pélvico de 347 arremessadores com idades entre 18 e 22 durante o treinamento de primavera.

 

Os pesquisadores colocaram um sensor de inclinação baseado em iPod no sacro de cada participante, onde a coluna e a pelve se encontram. O sensor lhes permitiu medir pela quantidade de um ângulo, a inclinação da  pelve quando os arremessadores ergueram um único pé por cerca de 10 cm.

 

Este movimento é semelhante ao início de um passo, ou um esforço de levar o pé para cima de um degrau.

 

Os pesquisadores dizem que, quando um arremessador levanta seu joelho para lançamento, a pelve se inclina. No entanto, eles não estavam interessados em medir isso tanto quanto medir quão bem o arremessador pode controlar sua pelve antes mesmo de atingir tal amplitude.

 

Uma vez que os pesquisadores haviam registrado essas medições, eles dividiram os arremessadores em três grupos, com base na quantidade de inclinação pélvica apresentada, a partir da posição de partida. Esses grupos foram:

 

Pelve inclinada a menos de 4 graus

Pelve inclinada entre 4 e 7,9 graus

Pelve inclinada mais de 8 graus.

Durante toda a temporada seguinte de treinamento de primavera, a equipe médica de cada grupo do baseball registrou quantos dias os jogadores tinham perdido por estarem lesionados.

 

Para efeitos do estudo, um dia perdido foi definido como um dia em que um arremessador não pôde completar seu trabalho programado por causa de uma lesão relacionada ao baseball.

 

Analisando os dados, os pesquisadores descobriram que os participantes do grupo de grande inclinação, eram três vezes mais propensos a perder 30 ou mais dias na temporada de treinos do que no grupo de menor inclinação. Arremessadores do grupo de moderada inclinação eram 2,2 vezes mais propensos a perder muitos dias, do que o grupo de menor inclinação.

 

Como a quantidade de inclinação pélvica demonstra controle lombo-pélvico?

Os pesquisadores afirmam que o grupo que teve maior inclinação tinha o controle lombo-pélvico pobre e quem inclinou menos, apresentava bom controle lombo-pélvico.

 

O chefe da pesquisa Ajit Chaudhari, PhD, professor associado da Faculdade de Saúde e Ciências da Reabilitação do Estado de Ohio, explicou a Medical News Today:

 

“A diminuição da inclinação pélvica em nosso teste é um sinal de uma região lombo-pélvica estável, porque significa que a pessoa é capaz de perceber corretamente o movimento e

impedi-lo com seus músculos. No teste, pedimos a pessoa para manter a cintura na posição horizontal. Para haver um aumento da inclinação pélvica, significaria ou que eles perceberam que estavam inclinando ou que eles não conseguiram impedir o movimento de inclinação.”

 

Em média, o grupo de pior estabilidade, perdeu 99 dias da temporada devido à lesão, o grupo-controle moderado perdeu 46 dias, e o grupo com melhor controle perdeu 44 dias.

 

Chaudhari diz que a lesão reduzida no grupo bem controlado pode ser porque este controle minimiza a interferência de energia que se move através do corpo, das pernas para o braço de arremesso.

 

[…]

E com um núcleo estável, a pelve pode redirecionar a força das pernas no sentido certo para empurrar o tronco e assim por diante, em todo o caminho até alcançar a mão.

Embora os resultados do estudo sejam mais diretamente aplicáveis ao arremesso do baseball, Chaudhari diz que – uma vez que o teste em si é feito através do levantamento de uma perna para o degrau seguinte, há uma probabilidade de haver variações semelhantes entre as pessoas que não praticam o esporte.

 

“Acreditamos ser possível que, pessoas com baixa estabilidade lombo-pélvica possam ter um maior risco de lesões ao levantar caixas, ou em outras atividades diárias” diz ele. Estamos pesquisando outras atividades mais cotidianas para descobrirmos.

Fonte: Medical News Today