PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER CADASTRE-SE AQUI

CONTATO

31 3222.0259 mapa
Rua da Bahia, 1900, 4º andar, Lourdes - Belo Horizonte
31 3335.8560 mapa
Av Olegário Maciel, 1600. Lourdes Shopping Diamond Mall - Belo Horizonte
27 jan 2014

Artrite reumatóide severa: depressão deveria ser rotineiramente avaliada

Os indivíduos com artrite reumatóide têm níveis de ansiedade e depressão superiores aos previamente relatados, diz um estudo publicado na revista “Arthritis Care and Research”.

A artrite reumatóide é uma doença autoimune inflamatória que afeta as articulações e os órgãos internos sendo caracterizada por dor crônica e fadiga. O desenvolvimento de novas terapias transformou, na última década, o tratamento dos pacientes com doença severa. Contudo, alguns dos pacientes não têm respondido adequadamente a estes fármacos.

Neste estudo os investigadores da Universidade de Manchester, no Reino Unido, decidiram avaliar o impacto que os fatores psicológicos tinham nos diferentes parâmetros que constituem um dos índices de avaliação da atividade da doença, o DAS28. Este índice faz uma avaliação do número de articulações dolorosas e inflamadas, bem como do nível de inflamação do organismo e mede, de uma forma subjetiva, o modo como os pacientes se sentem. Com base nos resultados do DAS28, os médicos conseguem apurar a progressão ou remissão da doença.

No total foram incluídos 3.222 pacientes com artrite reumatóide severa e que se encontravam à espera de ser submetidos a uma terapia biológica.

O estudo apurou que os resultados obtidos através do DAS28 eram fortemente influenciados pelos fatores psicológicos, especialmente humor dos pacientes ou crenças destes relativamente à sua doença e às terapias a que estavam sendo submetidos.

Estes resultados são importantes na medida em que, na presença da depressão, os resultados obtidos através do DAS28 podem levar os médicos a pensar erradamente que o tratamento não está sendo eficaz”, explicou, em comunicado de imprensa, uma das autoras do estudo, Lis Cordingley.

A líder do estudo, Anne Barton, acrescenta que estes resultados sugerem que o humor e as crenças dos pacientes deveriam ser separadamente avaliados da sua condição física, uma medida que poderia beneficiar a gestão da doença. “Como reumatologistas temos de ter a noção de que a depressão pode ocorrer mais comumente nos pacientes com artrite reumatoide severa, do que aquilo que anteriormente pensávamos”, conclui.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.