PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER CADASTRE-SE AQUI

CONTATO

31 3222.0259 mapa
Rua da Bahia, 1900, 4º andar, Lourdes - Belo Horizonte
31 3335.8560 mapa
Av Olegário Maciel, 1600. Lourdes Shopping Diamond Mall - Belo Horizonte
21 jun 2015

Cirurgia de LCA pode melhorar significativamente a saúde física e função, durante pelo menos seis anos, em pacientes mais jovens

Um estudo, publicado na edição de abril do Journal of Bone & Joint Surgery (JBJS), descobriu que a maioria dos pacientes que se submeteram à cirurgia para reparar e reconstruir o ligamento cruzado anterior (LCA) mostrou melhora significativa na função física em dois anos, que continuou por pelo menos seis anos após a cirurgia.

Idade jovem do paciente, índice de massa corporal inferior (IMC), e ter os restos do LCA completamente extirpados durante a cirurgia, estavam entre os mais fortes preditores de resultado positivo de longo prazo.

 

 

Com mais de 200.000 incidentes por ano nos Estados Unidos, as rupturas de LCA estão entre as lesões mais comuns do joelho, particularmente entre adolescentes e jovens adultos ativos. Os ossos do joelho estão ligados por quatro ligamentos primários que atuam como cordas fortes para estabilizar o joelho. O LCA corre diagonalmente no meio do joelho, impedindo a tíbia de se deslizar anteriormente, em relação ao fêmur.

 

 

Neste estudo, os investigadores analisaram e avaliaram os resultados de 1411 pacientes (44% do sexo feminino; idade média dos pacientes no momento da inscrição, 23 anos) que se submeteram à cirurgia de LCA entre 2002 e 2004 em quatro grandes centros médicos. Cada paciente completou questionários – Avaliando a saúde, bem-estar e função – antes da cirurgia, e novamente em dois e seis anos após a cirurgia.

 

 

“Nós descobrimos que a qualidade de vida relacionada à saúde foi significativamente melhorada após a reconstrução do LCA, e essa melhora ainda estava presente seis anos após a cirurgia”, disse o cirurgião ortopédico e principal autor do estudo – Warren R. Dunn, MD, MPH, da Universidade de Wisconsin. “Os preditores para sucesso da cirurgia podem ser úteis ao aconselhamento de pacientes que estão considerando a cirurgia de LCA.”

 

 

Especificamente, a pontuação média foi de 41,9 da saúde física e o escore médio de saúde mental foi de 51,7 no início do estudo. Aos dois anos após a cirurgia, os escores de saúde física e mental ficaram estáveis em 53,6 e 52 pontos, respectivamente, e 54 e 52,4 no ano seis. Entre as outras descobertas:

 

 

– A reconstrução do LCA resultou em grandes melhorias nos escores de função física, com uma melhora média de 12 pontos (de 100) em dois anos e seis anos após a cirurgia.

 

– Seis anos após cirurgia de LCA, os pacientes ganharam uma média de 5,3 anos de qualidade de vida ajustados pela (QALY). Um QALY representa um ano de perfeita saúde; 0,5 QALY, seis meses.

 

– Preditores de piores resultados pós-operatórios foram acompanhamento mais curto após a cirurgia, revisão de reconstrução do LCA, fumantes, menor tempo de escolaridade e danos à cartilagem sob a patela.

 

 

A função física continuou a melhorar, a longo prazo, após reconstrução. Pacientes que necessitaram de uma reconstrução de revisão não se saíram tão bem como pacientes submetidos a uma única reconstrução.

Escore de saúde mental, ao longo do período de seis anos, não se alterou significativamente.

Os resultados constataram que a reconstrução do LCA é a melhor opção quando se trata de pacientes jovens ativos, interessados em voltar para seu esporte e estilo de vida após o tratamento.

 

 

Fonte: Medical News Today