PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER CADASTRE-SE AQUI

CONTATO

31 3222.0259 mapa
Rua da Bahia, 1900, 4º andar, Lourdes - Belo Horizonte
31 3335.8560 mapa
Av Olegário Maciel, 1600. Lourdes Shopping Diamond Mall - Belo Horizonte
8 ago 2013

Lesões mais comuns em corredores

POR QUE ALGUNS ATLETAS SE MACHUCAM TANTO? FIQUE ATENTO!

correr-parque2

Corredores podem ser divididos em dois grupos: os que já se lesionaram e os que ainda vão se lesionar. A frase pode até parecer exagerada e cruel, mas as estatísticas comprovam sua veracidade: 92% dos praticantes de corrida de rua sofrem algum tipo de lesão ao longo da carreira. Pior do que fazer parte desses números — que parece ser algo inevitável —, só mesmo a constatação de que um dos fatores que mais aumenta o risco de um atleta se machucar é a existência de lesões anteriores. Isso faz com que alguns corredores caiam num ciclo vicioso sem fim de sofrerem uma lesão atrás da outra.

A explicação para alguns atletas se lesionarem com mais frequência não é simples. “É uma resposta que todos os pesquisadores da área ainda tentam encontrar”, afirma Alexandre Lopes, professor do Programa de Mestrado em Fisioterapia da Unicid e pesquisador responsável do SPRunIG (São Paulo Running Injury Group). “Hoje ainda se têm poucas evidências sobre o assunto. O que se sabe é que os dois principais fatores de risco para uma lesão na corrida são o histórico no aparelho musculoesquelético e correr acima de 50 km semanais”, completa Alexandre.

Mas isso ainda é muito pouco para chegar a qualquer conclusão, pois o corpo humano é uma máquina complexa e as lesões têm origens múltiplas. Elas podem estar associadas a questões do próprio indivíduo — como anatomia, biomecânica, nutrição, parte hormonal, nível de fadiga, hidratação e parâmetros bioquímicos — e também a fatores relacionados ao treinamento — como volume, intensidade, periodização, tipo de superfície e equipamentos. “É muito difícil caracterizar um, dois ou três geradores de lesão. O que existe é uma combinação de vários fatores”, destaca o ortopedista Cristiano Laurino, diretor médico da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

CUIDADO! FRÁGIL

A maioria das lesões ocorre por uma combinação de fatores extrínsecos e intrínsecos. Conheça quais são os problemas mais comuns entre os corredores e suas principais causas:

1. Síndrome da banda iliotibial – É uma inflamação causada pelo atrito da banda iliotibial com a lateral do fêmur, e geralmente causa dores na lateral do joelho.

Causas: aumento exagerado do volume de treinos; usar tênis muito gastos; falta de força nos músculos abdutores; desalinhamento nos joelhos e nos tornozelos; encurtamento muscular nos membros inferiores; diferença maior que 1 centímetro no comprimento das pernas.

2. Canelite – Inflamação no tecido que recobre a tíbia e provoca dores na canela.

Causas: aumento exagerado no volume de treinos; uso de tênis inadequado para o tipo de pisada ou muito gasto; falta de fortalecimento na musculatura da tíbia; pisada excessivamente pronada ou supinada; falta de alongamento nos músculos da panturrilha.

3. Fasciíte plantar – Inflamação da fáscia plantar — tecido que une o calcanhar aos dedos e serve para proteger os ossos do pé — que gera dores na sola.

Causas: aumento exagerado no volume ou intensidade de treinos; uso de tênis gastos ou com pouco amortecimento; excesso de peso; pés chatos ou com pronação e supinação excessiva.

4. Tendinite no tendão de Aquiles – Inflamação no tendão que liga o músculo da panturrilha ao calcanhar.

Causas: falta de repouso entre os treinos; aumento exagerado no volume ou intensidade do treinamento; excesso de peso; falta de força ou de alongamento na musculatura dos membros inferiores; pronação ou supinação excessiva.

5. Fratura – por estresse Microfraturas que ocorrem por causa do desgaste ósseo, geralmente acontecem nos pés, na tíbia e no fêmur.

Causas: correr em pisos muito duros ou irregulares; aumento excessivo do volume de treinos; fadiga muscular; usar tênis muito gastos; rigidez nos tendões; idade.

6. Distensão muscular – É o rompimento das fibras musculares, ocorre principalmente na panturrilha e nos músculos da coxa.

Causas: sobrecarga nas atividades de alta intensidade; fadiga muscular; falta de flexibilidade; desequilíbrio de força muscular; postura incorreta durante a corrida; idade.

 

7. Condromalácia patelar – Dor no joelho provocada pelo atrito entre o osso do fêmur e a patela. Acontece quando a cartilagem patelar não está em perfeitas condições.

Causas: aumento excessivo do volume de treinos; correr sempre em pisos duros; falta de alongamento e fortalecimento muscular dos membros inferiores; excesso de peso.

Fatores intrínsecos

São os aspectos individuais de cada atleta e não podem ser controlados, como características anatômicas, faixa etária e capacidade do corpo em suportar o exercício.

Fatores extrínsecos

São controláveis, como a rotina de treinamento, equipamentos e nutrição.

 

Fonte: Revista O2