PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER CADASTRE-SE AQUI

CONTATO

31 3222.0259 mapa
Rua da Bahia, 1900, 4º andar, Lourdes - Belo Horizonte
31 3335.8560 mapa
Av Olegário Maciel, 1600. Lourdes Shopping Diamond Mall - Belo Horizonte
15 out 2013

Mulheres são mais propensas a lesionar o LCA devido a uma “aproximação maior dos joelhos”

O estudo publicado no Journal of Athletic Training  foi conduzido por pesquisadores da Oregon State University ( OSU ) , e da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill e Greenboro .

Biomechanical model

Lesões do LCA são definidas como um rompimento do ligamento cruzado anterior, no interior da articulação do joelho. A lesão promove um “inchaço´” no joelho e a articulação se torna dolorosa demais para suportar o peso, na maioria das vezes.

Estas lesões são muito comuns em esportes onde os participantes são obrigados a fazer muita frenagem, saltos e aterrissagens. Isso inclui basquete , futebol, tênis e vôlei .

Marc Norcross , professor assistente de exercício e ciência do esporte na Faculdade de Saúde Pública e Ciências Humanas da OSU , diz:

“Sabemos que as pessoas que se machucaram tendem a ter receio quando se trata do combinado joelho/ carga com atividades multidirecionais, e que isto provavelmente causou a lesão, mas não ficou claro inicialmente neste estudo, porque as mulheres tiveram mais lesões do que os homens”.

 

Mulheres “aproximam mais os joelhos”  que os homens

Para sua pesquisa , os autores do estudo analisaram 82 homens e mulheres fisicamente saudáveis, utilizando software de análise de movimento , para determinar exatamente como eles aterrissam na realização de uma série de exercícios de salto.

Os pesquisadores descobriram que homens e mulheres caíram “com o joelho firme”, o que pode potencialmente levar a lesões do LCA .

No entanto, as mulheres foram 3,6 vezes mais propensas a aterrissar em uma posição de “aproximação maior dos joelhos “. Os pesquisadores dizem que isso pode ser um fator crítico, que leva à disparidade de gêneros em lesões de LCA.

O Prof Norcross diz:

“Nós descobrimos que homens e mulheres usaram o quadríceps de forma semelhante, o que não explica o risco maior à lesão, em mulheres.

Por outro lado, usando uma análise de movimento, fomos capazes de identificar que esta incapacidade de controlar o plano frontal do joelho durante a descarga de peso é uma disfunção comum entre as mulheres.

Pesquisas futuras podem explicar porque as mulheres tendem a aterrissar desta forma , mas poderia ser, em parte, por causa da anatomia feminina. As mulheres têm quadris mais largos, o que possibilita que os seus joelhos se aproximem mais após o salto . ”

Norcross diz que a investigação em curso incidirá sobre os atletas de nível médio, a fim de determinar como lesões do LCA podem ser prevenidas por meio de técnicas de aquecimento e melhora do padrão de movimento.

“Estamos tentando criar uma estratégia de prevenção que é sustentável e será amplamente utilizada por treinadores”, acrescenta.

“Há um grande número de atletas que retornam ao esporte após a lesão do LCA, mas esse é um longo caminho. A preocupação real é que eles podem desenvolver um a artrose precoce, que em seguida, afetará sua capacidade de permanecerem fisicamente ativos. ”

 

Fonte: Medical News Today