PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER CADASTRE-SE AQUI

CONTATO

31 3222.0259 mapa
Rua da Bahia, 1900, 4º andar, Lourdes - Belo Horizonte
31 3335.8560 mapa
Av Olegário Maciel, 1600. Lourdes Shopping Diamond Mall - Belo Horizonte
16 jun 2013

Lesões no tendão de aquiles são mais comuns em atletas do sexo masculino

Atletas do sexo masculino são o grupo com maior probabilidade de lesionar seu tendão de Aquiles, de acordo com um novo estudo publicado na edição de abril 2013 do jornal SAGE – Pé e Tornozelo Internacional (FAI). A atividade com maior probabilidade de causar este tipo de lesão é o basquete, e os jogadores da NBA, como Kobe Bryant, tem sido notícia nos últimos tempos por este tipo de lesão.

Drs. Steven Raikin, David Garras e Philip Krapchev revisaram em uma clínica, 406 registros de pacientes diagnosticados com lesões do tendão de Aquiles de agosto de 2000 a dezembro de 2010. A idade média dos pacientes foi de 46 anos de idade, 83% dos pacientes eram do sexo masculino e a prática de atividade esportiva foi responsável ​​por 68% das rupturas.

Os esportes mais comuns envolvidos foram: basquete (32% de todas as rupturas), tênis (9%) e futebol (8%). Entre os pacientes com menos de 55 anos de idade, 77% das rupturas ocorreram durante a prática desportiva, em comparação a 42% dos pacientes com 55 anos ou mais.

Os pacientes mais velhos e aqueles cujo IMC (índice de massa corporal) foi maior do que 30, parecem serem mais propensos às lesões não relacionadas ao esportes. Um número superior a um terço do total das rupturas de tendão não causadas por esportes ocorreu no trabalho.

“O diagnóstico e tratamento tardio foram considerados os responsáveis pelos resultados mais pobres”, diz Steven Raikin, MD, membro do Instituto Rothman em Philadelphia, PA e American Orthopaedic Foot & Ankle Society (AOFAS).

Re-ruptura do tendão estava presente em 5% do grupo, e 6% da população do estudo tinha histórico de ruptura anterior contralateral. Este estudo confirmou descobertas anteriores de que a ruptura do tendão de Aquiles em uma perna aumenta a probabilidade de uma ruptura no lado oposto.

Fonte: Medical News Today